super glamorosas

Isto é uma espécie de bar de NY, ultra sofisticado, nós todas a cair de lindas e elegantes! Só para quem gosta muito da Cláudia e, ao mesmo tempo, tem capacidade para brincar com as coisas sérias que estão a acontecer. Para ver quem tem os Manolos + giros, para debater quem usa a cor de verniz mais estonteante, e até, quem sabe, para podermos dizer umas coisas + a sério!

Monday, November 03, 2008

SGlamorosas no jornal "O Ribatejo"


Deixo-vos a pág. do jornal "O Ribatejo" que na sequência da peça "Mulheres" com cancro da mama, mencionou este blogue como um dos mais visitados por mulheres com este problema de saúde.

É bom continuarmos por aqui... é bom que continuem a vir aqui...

Bjinhos
a todas e as melhoras a quem continua numa fase mais difícil.

Bjo
enorme á Cláudia que fundou esta casa e que deixou que tudo isto fosse possível



17 Comments:

At 3/11/08 3:54 PM, Blogger IsaLenca said...

Bem podes ficar angustiado!! Nunguém te vai dizer patavina! Quando for a estreia da peça aí podes ir a Rio Maior...e depois pode ser que sejas esperto e percebas quem é quem!!

Um beijão para todas as SG e um especial para a Cláudia *

 
At 3/11/08 5:18 PM, Blogger mari-lou said...

NADA É POR ACASO.

 
At 3/11/08 6:17 PM, Blogger IsaLenca said...

Ciência: engenheiro informático desenvolve técnica inovadora que facilita detecção de cancro da mama
Porto, Portugal 03/11/2008 15:48 (LUSA)

Porto, 03 Nov (Lusa) - Um investigador em engenharia informática está a desenvolver em Matosinhos uma técnica inovadora que visa facilitar a detecção do cancro da mama através do rastreio precoce de elementos suspeitos.

Filipe Soares, especialista em engenharia informática, disse hoje à Lusa que "o objectivo é assistir o radiologista no momento em que analisa as imagens", ou seja, o sistema ao detectar uma massa estranha emite um alerta.

"O que se pretende é propiciar um diagnóstico com maior grau de confiança, através da detecção num estado precoce de elementos suspeitos presentes em mamogramas, com especial foco em microcalcificações que isoladas representam cerca de 30 por cento de casos de cancro", frisou o autor.

Filipe Soares é bolseiro de investigação apoiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) com bolsa de doutoramento em empresa (BDE) em Engenharia Informática, co-financiada pela Siemens.

O trabalho "Segmentação de imagem médica por auto-semelhança aplicada à detecção do cancro da mama" está a ser desenvolvido na Siemens Healthcare, no Freixieiro, em Matosinhos.

O projecto surgiu na sequência de um protocolo de colaboração assinado em 2004 entre a Siemens S.A. e a Universidade da Beira Interior, que visa o intercâmbio de informação científica e técnica entre as instituições para benefício mútuo.

Com a sua investigação, Filipe Soares pretende que "os métodos criados superem as performances demonstradas pelas alternativas existentes (no que diz respeito à detecção de falsos-positivos), e possam constituir soluções de vanguarda que permitam prover informação complementar ao médico, de forma a sustentar um diagnóstico mais fiável".

A especialização em metodologias de detecção automática assistida por computador, combinada com o conhecimento técnico das soluções mais relevantes para a detecção de elementos que sustentam a presença de cancro (nódulos, quistos e microcalcificações), permitiu já a Filipe Soares alcançar o primeiro grande feito do trabalho conducente ao grau de doutoramento: a preparação de uma patente.

"Foi desenvolvido um protótipo de um sistema capaz de processar automaticamente detecções e análises de elementos relevantes presentes em mamogramas, de forma a que seja possível a determinação do nível de auto-semelhança presente nesses elementos, factor indicador da sua malignidade e, indirectamente da presença de um tumor", explicou.

A Siemens Healthcare pretende explorar comercialmente esta tecnologia, integrando-a em produtos comerciais para a área de diagnóstico médico.

Actualmente, o investigador está também envolvido na co-autoria de um livro na área de Biomédica, intitulado "Biomedical Diagnostics and Clinical Technologies: Applying High-Performance Cluster and Grid Computing", a publicar pela IGI Global.

 
At 3/11/08 6:20 PM, Blogger Cristina J. said...

Mimas, eu penso igualinho a ti e por isso devia mesmo ter explicado isso no post, sorry!

E também de certeza que as nossas queridas visitantes já perceberam a nossa posição: há coisas que não são nossas nem para nós, são da nossa Cláudia e para ela...

Desculpa´a todas

E Kromo, deixe-se de adivinhas que não tem lupa para isso

 
At 4/11/08 4:40 AM, Anonymous Anonymous said...

Um beijinho grande a todas as mulhres e a Claudia que sempre a segui aqui,
xanasofia -clube dos pais

 
At 4/11/08 3:38 PM, Anonymous Magui said...

Apesar de não ser doente oncológico, sou doente de risco e sigo este blog há mais de 1 ano. Muito embora silenciosamente, cada vez que cá venho sinto o Brilho da Claudia e da sua companhia.
Conheci a Cláudia neste Blog e através das palavras do Dr. PS e sem dúvida que era uma melhor muito corajosa.
Parabéns a todas aquelas que deram seguimento ao seu sonho.
Sempre que posso dou o endereço do blog.

 
At 5/11/08 5:28 PM, Anonymous Anonymous said...

O que eles têem é pena.

Eu sou raposa velha, mas sei apreciar um bom gato, seja presidente ou não!
Mas que o homem TEM CHARME TEM.

RAPOSA PRIMA DA OUTRA.

 
At 6/11/08 2:59 PM, Anonymous xana said...

Apesar de ser da minha terra e a conhecer de vista, não conheci a Claudia pessoalmente. Tenho pena.

Pelo que percebo agora, foi uma grande mulher, uma galinha invulgar, feita de material raro, e que partiu nova!

Enquanto foi viva nunca me dei conta disso, e só há bem pouco tempo comecei a acompanhar este blogue com olhos de gente (embora tivesse tomado conhecimento da sua existência ainda a Cláudia era viva).

Como todas as grandes pessoas, deixou obra. Está morta, mas bem viva no coração e na alma de todos aqueles que a conheceram.

A sua obra não a deixa morrer...

E não só. Com a sua obra, ela continua a viver e a dar-se a conhecer a todos aqueles que não a conheceram pessoalmente, como eu, pois o seu legado não nos permite senti-la morta, mas imortal!

 
At 7/11/08 11:14 AM, Blogger IsaLenca said...

Mais uma notícia com interesse para todas as mulheres:

Cancro do colo do útero
Mulheres podem fazer auto-exame com kit em forma de tampão
As mulheres portuguesas poderão fazer a sua própria colheita de células para exame ao cancro do colo do útero, uma alternativa ao Papanicolau que está a ser utilizada com "grande sucesso" em países como a Holanda. A hipótese vai ser analisada numa conferência que decorrerá esta sexta-feira no IPO do Porto.



O presidente da Sociedade Portuguesa de Papilomavirus (SPPV), Rui Medeiros, explicou à Lusa que este auto-teste tem a forma de um tampão e permite às mulheres colherem células do colo do útero para posterior análise laboratorial.

O objectivo é que este teste identifique a existência de células que possam revelar a presença do Vírus do Papiloma Humano (HPV), principal causa do cancro do colo do útero, que mata anualmente 300 mulheres em Portugal.

A alternativa está a ter "grande sucesso" em países como a Holanda, Brasil e África do Sul e estará em análise sexta-feira durante uma conferência que decorre no Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto sobre o tema "HPV, as Vacinas e o Rastreio do Cancro do Colo do Útero".

De acordo com Rui Medeiros, que coordena o Grupo de Oncologia Molecular e Virologia do IPO do Porto, esta auto-colheita - que é assegurada com um kit especial, com a forma de um tampão - não substitui a consulta ginecológica, mas pode chegar a mulheres que, pelas mais variadas razões, não vão ao médico.

Actualmente, o exame à presença do HPV faz-se com o recurso ao Papanicolau, exame ginecológico que recolhe células no colo do útero, as quais são posteriormente analisadas em laboratório.

Com este auto-exame, as mulheres não precisam, numa fase inicial, de ir ao médico. Contudo, e consoante o resultado do exame, serão ou não encaminhadas para um ginecologista.

Na Holanda, afirmou Rui Medeiros, os resultados são muito bons, tal como no Brasil e na África do Sul.

Rui Medeiros adiantou que a alternativa vai estar em análise, cabendo às autoridades acatar ou não a proposta da sua introdução em Portugal.

Actualmente, está em curso um rastreio ao cancro do colo do útero nas regiões Centro e Alentejo. Em breve, avançará o rastreio no Norte.

Em Lisboa, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa está a realizar um rastreio em vários bairros da cidade.

Fonte: Lusa

 
At 7/11/08 11:14 AM, Blogger IsaLenca said...

Mais uma notícia com interesse para todas as mulheres:

Cancro do colo do útero
Mulheres podem fazer auto-exame com kit em forma de tampão
As mulheres portuguesas poderão fazer a sua própria colheita de células para exame ao cancro do colo do útero, uma alternativa ao Papanicolau que está a ser utilizada com "grande sucesso" em países como a Holanda. A hipótese vai ser analisada numa conferência que decorrerá esta sexta-feira no IPO do Porto.



O presidente da Sociedade Portuguesa de Papilomavirus (SPPV), Rui Medeiros, explicou à Lusa que este auto-teste tem a forma de um tampão e permite às mulheres colherem células do colo do útero para posterior análise laboratorial.

O objectivo é que este teste identifique a existência de células que possam revelar a presença do Vírus do Papiloma Humano (HPV), principal causa do cancro do colo do útero, que mata anualmente 300 mulheres em Portugal.

A alternativa está a ter "grande sucesso" em países como a Holanda, Brasil e África do Sul e estará em análise sexta-feira durante uma conferência que decorre no Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto sobre o tema "HPV, as Vacinas e o Rastreio do Cancro do Colo do Útero".

De acordo com Rui Medeiros, que coordena o Grupo de Oncologia Molecular e Virologia do IPO do Porto, esta auto-colheita - que é assegurada com um kit especial, com a forma de um tampão - não substitui a consulta ginecológica, mas pode chegar a mulheres que, pelas mais variadas razões, não vão ao médico.

Actualmente, o exame à presença do HPV faz-se com o recurso ao Papanicolau, exame ginecológico que recolhe células no colo do útero, as quais são posteriormente analisadas em laboratório.

Com este auto-exame, as mulheres não precisam, numa fase inicial, de ir ao médico. Contudo, e consoante o resultado do exame, serão ou não encaminhadas para um ginecologista.

Na Holanda, afirmou Rui Medeiros, os resultados são muito bons, tal como no Brasil e na África do Sul.

Rui Medeiros adiantou que a alternativa vai estar em análise, cabendo às autoridades acatar ou não a proposta da sua introdução em Portugal.

Actualmente, está em curso um rastreio ao cancro do colo do útero nas regiões Centro e Alentejo. Em breve, avançará o rastreio no Norte.

Em Lisboa, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa está a realizar um rastreio em vários bairros da cidade.

Fonte: Lusa

 
At 11/11/08 5:51 PM, Blogger Isa said...

olá a todas.um beijinho

 
At 12/11/08 4:51 PM, Anonymous Anonymous said...

Sarnoso, onde é que você anda?? E as galinhas?? Só vejo comentários da Isalenca Chicken...
KROMO

 
At 12/11/08 5:39 PM, Anonymous pittbull said...

Pensei que lhe era indiferente a minha presença!
As galinhas devem andar a preparar as penas para a chuva

 
At 12/11/08 6:52 PM, Anonymous Anonymous said...

Indiferente não é! Um galo tem de ter com quem interagir, com quem se picar...
KROMO

 
At 13/11/08 10:59 AM, Blogger IsaLenca said...

Mais uma notícia de um vencedor pintor.

O pintor que venceu a leucemia
A história de... Leandro Machado, pintor

JOÃO PAULO COSTA in Jornal de Notícias
Uma leucemia aguda colocou-o no corredor da morte em 2004, mas Leandro, 27 anos, fintou a doença com a mesma arte que coloca nas telas. O artista está de volta com uma exposição.

Leandro Machado não esquece 21 de Fevereiro de 2004. Chegou a casa, em Sever do Vouga, cansado e disse à mãe, Helena, que se sentia doente, sem forças. Um médico amigo aconselhou-os a irem a Águeda fazer análises. O grito de Helena ecoou no hospital quando a médica lhe disse que o filho, na altura com 24 anos, tinha uma leucemia aguda, que o poderia matar em poucos meses. Ontem, Leandro recordou a história com um sorriso, que só se justifica porque está curado do cancro no sangue. A esperança que lhe foi transmitida nos Hospitais da Universidade de Coimbra, onde esteve sete meses a fazer quimioterapia, concretizou-se há poucos meses, quando os médicos do Instituto de Oncologia de Lisboa, que lhe fizeram o transplante de medula óssea, o informaram do sucesso da intervenção. Apesar da solidariedade de centenas de conhecidos e desconhecidos que durante meses, em vários locais, deram sangue na tentativa de salvar Leandro, acabou por ser a irmã, Raquel, dois anos mais velha, a salvar o irmão. A compatibilidade que sempre mostraram na vida consolidou-se em 30 de Março de 2005, dia do transplante.

O pós-transplante foi o pior período, conta Leandro: "Foi mil vezes pior que a quimioterapia. Nos sete meses que estive em Coimbra a minha preocupação não era a dor, que praticamente não sentia, mas sim cumprir tudo o que os médicos me pediam. Não queria desiludir a minha família e amigos. Tinha de cumprir a minha parte para não ser mais um a sair de maca coberto por um lençol como muitos dos que conheci no hospital". Complicados foram os meses que se seguiram. "Só pedia morfina para me tirarem as dores e uma vez senti que ia morrer, foi como se estivesse a sair do chão, uma pena no ar... mas safei-me", graceja.

Leandro estudava na Escola Universitária das Artes de Coimbra, onde está a tirar um mestrado, e jogava futebol. Foi colega do benfiquista Moreira nos juniores do Salgueiros (quando fez o Secundário no Porto) e jogou no Pessegueirense (clube local). Desde 1996 que expõe o que pinta. Este sábado (até dia 30) vai mostrar, no Centro de Arte de Sever do Vouga, "Pinceladas de Sonho, Sossego e Medo", 26 telas a acrílico que, não sendo o filme dos seus últimos anos, podem retratar o que sentiu. "Gostaria que viessem ver o artista e não o recuperado, mas ficarei satisfeito se a minha vida encorajar alguém", conclui.

 
At 13/11/08 3:07 PM, Anonymous pittbull said...

Oh Kromo tá parvo ou quê? Vá lá interagir com os da sua estripe! e vá-se bicar com as galinhas, eu sou muito cão ouviu?

E as rapasas, a nova e a velha que andavam por aqui, essas é que fazem muita falta, está cá um frio.

 
At 13/11/08 4:44 PM, Anonymous Anonymous said...

Você gosta de se armar em tinhoso, seu pulgas de uma figa. Se não gostasse de interagir com os da minha laia e as galinhas não andava aqui no blogue
KROMO

 

Post a Comment

<< Home